Calendário 2020



Dia dos Santos Jonas e Barachio próximos anos




29
Março de 2018 ( Quinta-feira ) - Dia dos Santos Jonas e Barachio
29
Março de 2019 ( Sexta-feira ) - Dia dos Santos Jonas e Barachio
29
Março de 2020 ( Domingo ) - Dia dos Santos Jonas e Barachio
29
Março de 2021 ( Segunda-feira ) - Dia dos Santos Jonas e Barachio
29
Março de 2022 ( Terça-feira ) - Dia dos Santos Jonas e Barachio

O Dia dos Santos Jonas e Barachio é comemorado no dia 29 de março em homenagem aos irmãos que viveram na Pérsia, no século IV da Era Cristã. Sobre eles, as únicas informações que existem são a respeito das torturas sofridas, descritas por um comandante da cavalaria do imperador persa da época, denominado Sapor.

A vida dos santos Jonas e Barachiso

As informações sobre os irmãos que se tornaram santos dizem que ambos nasceram na cidade de Beth-Asa, na Pérsia (atual Iraque). Segundo a tradição, ambos foram presos e submetidos a terríveis torturas no ano de 327, sendo considerado como os momentos mais violentos sofridos pelos cristãos em toda a história da Igreja.

Durante sua vida, os dois irmãos, Jonas e Barachiso, dedicaram-se a visitar os cristãos presos na cidade de Hubahan, também no império persa, dominado por Sapor, que ordenava as mais sangrentas perseguições contra os seguidores do cristianismo.

Mesmo sabendo do ódio do imperador aos cristãos, Jonas e Barachiso resolveram enfrentar o perigo, atendendo nove condenados na prisão que aguardavam a morte somente pelo fato de seguirem o cristianismo.

Em razão de suas visitas, os irmãos também foram presos e levados a julgamento. O juiz os obrigava a renunciar a fé em Cristo e adorar o imperador e aos deuses pagãos do império persa.

Como os dois não obedecessem, as torturas tiveram início. Separados pelo juiz, Barachiso foi enviado à masmorra, enquanto Jonas passou por um açoite e, em seguida, amarrado dentro de um rio gelado. Jonas, no entanto, sobreviveu a essa primeira tortura.

Para influenciar Barachiso, o juiz o chamou e contou em detalhes as torturas infringidas a Jonas, dizendo que o irmão havia renunciado à fé cristã e que tinha oferecido sacrifícios aos deuses persas.

Conhecendo seu irmão, Barachiso não acreditou, fazendo um discurso cheio de força e poder, defendendo a fé cristã. Receoso de que as palavras de Barachiso tivessem influência sobre o povo, o juiz determinou que o julgamento fosse realizado à noite, sem a presença do povo, que poderia ser convertido por Barachiso.

Em sua vez de passar pela tortura, Barachiso teve os braços queimados com ferros em brasa, com chumbo derretido derramado em suas narinas e olhos. Ainda vivo, ele foi levado novamente à masmorra, ficando dependurado por apenas uma das pernas.

Descobrindo que Jonas ainda estava vivo, o juiz então ordenou que ele fosse retirado das águas geladas e chamado à sua presença. Tentou a mesma mentira com Jonas, dizendo que ele havia renegado a fé cristã.

Jonas também não acreditou e respondeu ao juiz com outro discurso de fé inflamada.

Diante de sua recusa, o juiz ordenou que lhe fossem cortadas as mãos e os pés, arrancaram sua língua e seu couro cabeludo e, não satisfeitos, o jogaram no piche fervente, esquartejando seu corpo e o jogando numa cisterna.

Barachiso, no dia seguinte, sofreu açoite com ferros pontiagudos, teve enxofre e piche jogados em sua boca e foi espancado mesmo depois de morto.

As torturas afligidas aos dois cristãos os tornaram dignos de serem canonizados pela Igreja Católica, tendo seu dia comemorado em 29 de março, relembrando sua fé e sofrimento em nome de sua crença.





Política Privacidade

CalendárioBr 2019 - todos os direitos reservados


X

Receba grátis semanalmente em seu e-mail um resumo com as datas mais importantes. CalendárioBr, cadastre-se!


Agora não, obrigado!