Calendário 2020



Dia de São Bernardino de Sena próximos anos




20
Maio de 2018 ( Domingo ) - Dia de São Bernardino de Sena
20
Maio de 2019 ( Segunda-feira ) - Dia de São Bernardino de Sena
20
Maio de 2020 ( Quarta-feira ) - Dia de São Bernardino de Sena
20
Maio de 2021 ( Quinta-feira ) - Dia de São Bernardino de Sena
20
Maio de 2022 ( Sexta-feira ) - Dia de São Bernardino de Sena

O Dia de São Bernardino de Sena é comemorado no dia 20 de maio.

São Bernardinho de Sena foi um missionário franciscano que viveu no século XIV. Seu dia no calendário litúrgico da Igreja Católica é comemorado em 20 de maio.

A vida de São Bernardino de Siena

Bernardino nasceu em 8 de setembro de 1380, na pequena aldeia de Massa Marítima, em Carrara, região de Grosseto, na Itália, filho de uma nobre família, os Albizzeschi. Seus pais, Albertollo e Raniera de Avveduti, morreram quando ainda criança. Aos sete anos, depois de perder o pai, foi levado para a cidade de Sena, onde duas tias extremamente religiosas cuidaram de sua educação, encaminhando-o para os preceitos da Igreja e do catolicismo.

Bernardino formou-se na Universidade de Sena aos 22 anos, abandonando a vida mundana e ingressando na Ordem de São Francisco, cujas regras abraçou com entusiasmo. Com sua dedicação ao movimento denominado “observância”, que se firmava entre os franciscanos, com o rigor da prática da pobreza vivida pelo criador da Ordem, tornou-se Vigário Geral de todos os conventos franciscanos da observância.

Com 35 anos, começou seu apostolado de pregação, atividade que exerceu até a morte, tornando-se o mais brilhante de sua época. Sua facilidade em pregar o levou a ser convidado por todas as cidades italianas, ensinando o Evangelho e tendo seus discursos taquigrafados por um discípulo através de um método inventado por ele.

Suas pregações chegaram à atualidade de forma integral, dentro de um estilo bem acessível, leve e contundente, que se mantém ainda atual. Os temas mais frequentes por ele tratados eram a caridade, a humildade, a concórdia e a justiça, aplicando palavras duríssimas com relação às peças que “renegam a Deus por uma cabeça de alho” e pelas “feras de garras compridas que roem os ossos dos pobres”.

A Europa, nessa época, vivia ainda as calamidades da peste e sofria com as divisões das facções políticas e religiosas, sempre provocando morte e destruição. Nos lugares por onde passava, Bernardino conseguia restituir a paz através de sua pregação ardente, empolgante e insuperável, usando inclusive recursos dramáticos, com as fogueiras onde queimava livros impróprios.

Titus Burckhardt, escritor que escreveu uma obra clássica sobre a cidade de Sena, escreveu que Bernardino percorreu boa parte da Itália, pregando um método de realização espiritual. Em 1425 e 1427, o santo pregou dia após dia, durante seis semanas, escolhendo falar no Mosteiro de São Francisco. Quando o lugar ficou cheio, passou a falar na praça central da cidade.

O livro de Burckhardt também apresenta alguns dos escritos e sermões de Bernardino, informando que o santo viajou e pregou por toda a Itália Setentrional e Central, levando populações inteiras à renovação cristã.

Bernardino ainda trabalhou na reforma da Ordem Franciscana, trazendo novo olhar sobre os ensinamentos de São Francisco.

Sendo um grande devoto, sempre trazia consigo as iniciais JHS (Jesus Salvador dos Homens) entalhada num quadro de madeira, que oferecia para os fiéis beijarem após os seus discursos.

No entanto, as pregações e as constantes penitências, além de uma alimentação muito fraca e do pouco repouso a que se disponibilizava, cada vez mais enfraqueciam seu físico já envelhecido. Bernardino se recusava a parar, continuando com suas pregações.

A morte o pegou aos 64 anos de idade, em 20 de maio de 1444, no Convento de Áquila. Sua vida provocou tamanha mudança entre as pessoas que, apenas seis anos de pois de sua morte, em 1450, foi canonizado. Hoje é considerado o patrono dos publicitários. Sua obra está contida nos “Sermões”, publicado em latim.

O método aplicado por Bernardinho para concentração espiritual encontra similares nas grandes religiões do mundo. Seu porta-voz no budismo foi o santo japonês Hônen, que fez do Nembutsu a oração mais popular para os budistas e, no islamismo, o mesmo método é conhecido como Dhikr (Lembrança de Deus), tendo como mestres os xeiques Darqawi e Alawi.





Política Privacidade

CalendárioBr 2019 - todos os direitos reservados


X

Receba grátis semanalmente em seu e-mail um resumo com as datas mais importantes. CalendárioBr, cadastre-se!


Agora não, obrigado!