Calendário 2020



Dia de Santo Apolônio próximos anos




18
Abril de 2018 ( Quarta-feira ) - Dia de Santo Apolônio
18
Abril de 2019 ( Quinta-feira ) - Dia de Santo Apolônio
18
Abril de 2020 ( Sábado ) - Dia de Santo Apolônio
18
Abril de 2021 ( Domingo ) - Dia de Santo Apolônio
18
Abril de 2022 ( Segunda-feira ) - Dia de Santo Apolônio

O Dia de Santo Apolônio é comemorado no dia 18 de abril, dia de Santo Apolônio em homenagem a um romano ilustre que viveu no segundo século da Era Cristã. 

A vida de Santo Apolônio

Apolônio era um romano ilustre, tendo sido senador romano no tempo do imperador Cômodo, que governou o Império Romano entre 161 e 192. Mostrou destaque no senado como homem de muitos talentos, levado por uma ética irrepreensível, extremamente culto e educado.

Era versado em filosofia grega e romana e encontrou no cristianismo, então em seus primórdios, a confirmação da verdadeira ética e da sabedoria. Ao conhecer os princípios cristãos, converteu-se e foi batizado.

Existem quatro fontes que se referem a Apolônio:

O relato de um julgamento na História Eclesiástica de Eusébio de Cesareia;

Citação no capítulo 40 da obra De Viris Illustribus, de São Jerônimo;

Duas versões de Passio, escritas por ele próprio, em grego e armênio, obras descobertas no final do século XIX.

As fontes atestam sua vida e sua atuação como senador, depois incriminado como cristão pelo prefeito pretoriano Perennius. Chamado a se defender, leu no senado, de acordo com São Jerônimo, um grande volume onde, em vez de negar, defendeu a fé cristã. Como resultado, foi condenado à morte, tendo por base a lei outorgada pelo imperador Trajano.

Segundo as fontes, Apolônio foi submetido a duas investigações, uma levada a efeito pelo prefeito Perennius, e a segunda, depois de três dias, por um conjunto de juristas e senadores. As audições, de acordo com os registros, foram conduzidas dentro da mais estrita moderação, permitindo que Apolônio falasse apenas com as interrupções necessárias para que ele pudesse ficar livre de qualquer punição.

Apolônio, no entanto, não estava com medo do sacrifício e do martírio, afirmando que havia algo melhor esperando por ele, a vida eterna, o bem maior para quem viveu uma vida correta na Terra.

Os registros, no entanto, não apresentam consonância com relação à sua morte. Enquanto a obra Passio afirma que ele morreu depois de ter as pernas esmagadas, punição que também foi aplicada ao escravo que o denunciou, segundo a versão armênia, ele foi decapitado.

O que valoriza a vida de Apolônio foi o fato de ter assumido a fé cristã sem qualquer receio no senado romano. Por determinado tempo, ele foi respeitado pelo seu passado ilustre e sem mancha, sempre servindo bem ao Império Romano.

Muitos senadores se perguntavam por que um homem de sua envergadura teria abraçado a fé cristã, uma crença que era proibida pelo Imperador. Apolônio, no entanto, sempre respondia afirmando que a verdade mais profunda e o verdadeiro sentido da vida somente podiam ser encontrados na fé cristã.

Como se tratava de um excepcional orador, suas palavras encontravam eco no coração de muitas pessoas, que acabam por se converter à nova fé.

Seu comportamento, durante o tempo em que não foi incomodado, ao mesmo tempo em que agradava a alguns, desagradava muitos outros, Não demorou para que fosse denunciado ao prefeito pretoriano de Roma, sendo acusado de cristão e disseminador do cristianismo. Como se tratava de um senador, ele pelo menos teve a possibilidade de apresentar sua defesa.

E sua defesa foi fundada em argumentos irrefutáveis, através da lógica, uma ciência em que ele era profundo conhecedor. Hoje, ele é considerado um apologeta, ou seja, uma pessoa que defende as próprias ideias através de argumentações lógicas e contundentes.

Como senador e cidadão romano, Apolônia tinha direito à pena de morte aplicada aos romanos: a decapitação, o que era considerado uma morte honrosa, que não aplicada aos condenados as terríveis torturas destinadas a pessoas que não eram cidadãs do Império.

Deram-lhe a oportunidade de, antes da aplicação da pena, renegar sua fé cristã, escapando o castigo. Em vez de negar, no entanto, Apolônio fez ainda uma bela e solene profissão de fé, afirmando preferir morrer a negar Jesus Cristo.

Seu testemunho de fé entrou para a história do cristianismo, levando muitos a seguirem seu exemplo.





Política Privacidade

CalendárioBr 2019 - todos os direitos reservados


X

Receba grátis semanalmente em seu e-mail um resumo com as datas mais importantes. CalendárioBr, cadastre-se!


Agora não, obrigado!