Calendário 2017



Dia da Independência do Brasil próximos anos




7
Setembro de 2016 ( Quarta-feira ) - Dia da Independência do Brasil
7
Setembro de 2017 ( Quinta-feira ) - Dia da Independência do Brasil
7
Setembro de 2018 ( Sexta-feira ) - Dia da Independência do Brasil
7
Setembro de 2019 ( Sábado ) - Dia da Independência do Brasil
7
Setembro de 2020 ( Segunda-feira ) - Dia da Independência do Brasil

Independência do Brasil

Dia da Independência do Brasil, também chamado de Sete de Setembro ou Dia da Pátria, é um feriado que comemora a declaração de independência do país, que fez com que ele deixasse de pertencer a Portugal. Foi em 7 de Setembro de 1822 que o então Príncipe Regente do Brasil Dom Pedro I proclamou a independência do Brasil em relação à corte Portuguesa.

Porém muito antes de Dom Pedro I declarar a independência, já ocorria no um processo de separação e desvinculação de Portugal.

Família Real no Brasil

Um dos primeiros passos para a independência ocorreu com a chegada da Família Real ao Brasil em 1808, onde em razão da ameaça da invasão de Portugal pelo exército francês de Napoleão Bonaparte em Janeiro de 1808, o então Príncipe Regente Dom João, futuro Rei Dom João VI, transferiu a corte portuguesa para o Brasil, evitando assim a invasão de Portugal pela França e mantendo a cooperação com a Inglaterra.

Em consequência disso ocorreu abertura dos portos no Brasil, que possibilitou um crescimento do comércio do Brasil com outros países do mundo, contribuindo para o crescimento da economia local.

Revolução Constitucionalista e Revolução do Porto

Com o Brasil sendo a sede do Reino, Portugal ficou sendo governado por representantes Ingleses, porém após a queda de Napoleão, o país acabou se transformando em um tipo de colônia por não sediar o Reino. Isso levou com que a economia de Portugal fosse prejudicada, gerando muita revolta na população em geral e nos setores econômicos mais poderosos do país, que iniciaram um movimento conhecido como revolução constitucionalista, gerou  a Revolução Liberal do Porto.

Criação das Cortes

Com o crescimento do movimento constitucionalista, os revolucionários da cidade de Porto se aliaram a Lisboa, principal cidade de Portugal e criaram a chamada Junta Provisional do Supremo Governo do Reino, que foi responsável pela eleição das chamadas Cortes Constituintes, que era responsável por definir novas leis e limitar a atuação da monarquia, através de uma reforma liberal.

A principal demanda dessa revolução era o retorno de Dom João para Portugal, bem como a volta do Brasil a estado de colônia.

Em 1821 D. João sai do Brasil, cedendo às pressões e decidindo retornar a Portugal, deixando seu filho Dom Pedro como príncipe regente do Brasil, agradando assim os interesses de Portugal, mas também do Brasil, que via no príncipe uma forma de manter o que havia sido conquistado.

A Atuação do Príncipe Regente

Inicialmente Dom Pedro obedecia às ordens de Portugal, porém com o passar do tempo, percebendo que o objetivo da Corte era transformar o Brasil novamente em colônia, passou a tomar as próprias decisões através de novas diretrizes.

Com a saída da Corte do Brasil, houve uma grave crise financeira devido à exploração portuguesa e Dom Pedro passou então a tomar medidas favoráveis ao Brasil, como redução de impostos e incentivos econômicos, ganhando com isso o apreço do povo brasileiro. Além disso, conseguiu o apoio dos militares, fazendo com que eles tivessem o mesmo nível de hierarquia dos militares portugueses.

Com a adoção dessas medidas a corte portuguesa ficou muito contrariada e começou a pressionar o Brasil para que o príncipe regente voltasse a Portugal e cedesse o governo para uma junta portuguesa das Cortes.

Movimento pela Independência

Essa pressão fez com que fosse iniciado um movimento de defesa de Dom Pedro I, com objetivo de aumentar seu poder político e transformá-lo em líder da independência do Brasil.

Os fazendeiros e comerciantes ficaram ao lado de D. Pedro I, representando um grande apoio daqueles que eram os setores mais poderosos da época.

No fim de 1821, com o aumento das pressões de Portugal para o retorno de Dom Pedro I a sede do governo português, foi organizado um grande abaixo-assinado para que D. Pedro ficasse no país, e não cedesse às pressões.

Dia do Fico

Assim em 9 de Janeiro de 1822, após receber esse abaixo-assinado, Dom Pedro I respondeu afirmando que ficaria no Brasil, através da celebre frase “Como é para o bem de todos e felicidade geral da nação diga ao povo que fico”, sendo que essa data passou a ser conhecida como o Dia do Fico.

Após a decisão de Dom Pedro I de continuar no Brasil, ele passou a adotar medidas para firmar o seu poder, colocando no governo pessoas influentes na política que eram a favor da independência pelas mãos dele, como por exemplo, José Bonifácio, que era defensor da independência através de um processo mais conservador, mantendo o poder da monarquia brasileira.

Outra decisão para firmar seu poder foi determinar que qualquer ordem vinda de Portugal, teria que passar pelo sua aprovação antes de entrar em vigor.

Essas decisões levaram a uma situação muito complicada com as Cortes de Portugal, que fizeram um ultimato a Dom Pedro afirmando que se o mesmo não retornasse imediatamente para Portugal haveria uma invasão militar no Brasil para retomada do poder.

Finalmente a Independência!

Em 7 de Setembro de 1822, Dom Pedro I estava em viagem a Minas Gerais e a São Paulo, para acalmar aqueles que estavam apreensivos com a situação com Portugal, quando foi comunicado da exigência de seu retorno imediato a Corte.

Entendendo aquela situação como inaceitável, quando estava no caminho de Santos para São Paulo e à beira do Rio Ipiranga, fez um gesto conhecido até hoje como o grito de independência, levantou sua espada e declarou: “Independência ou morte!”, marcando a partir daquele momento a Independência do Brasil.

Portugal reconhece a independência do Brasil

Em Dezembro de 1822 Dom Pedro I foi declarado Imperador do Brasil e após algumas disputas com Portugal, que foram facilmente vencidas pelas tropas Brasileiras, com o apoio inglês, seu poder foi consolidado.

O primeiro país a reconhecer a independência do Brasil foram os Estados Unidos, seguido pelo México. Portugal exigiu o pagamento de uma indenização de 2 milhões de libras esterlinas pelo Brasil para que reconhecesse sua independência, dinheiro que teve que ser emprestado da Inglaterra, devido à crise econômica da época.

Do ponto de vista da população em geral, pouca coisa mudou, pois a situação econômica continuou sob o domínio da agricultura, principal setor da época e que apoiou a independência. Manteve-se também a escravidão, principal força de trabalho na economia, sendo que a maioria da população que não tinha acesso a informação, acabou não entendendo bem o que havia acontecido.  

Dia da independência do Brasil - 7 de setembro

Esta data é celebrada com desfiles patrióticos em diversas cidades do Brasil, sendo o mais famoso em Brasília, pois conta com a presença do Presidente da República. 

Durante esta data acontece também o Brazilian Day, que é uma comemoração de orgulho brasileiro que acontece em outros países. O mais importante é em Nova York, e possui apresentação de diversos artistas do Brasil.

O Dia da Independência do Brasil é comemorado em 7 de setembro, e é considerado um feriado nacional.  



Imagens para Compartilhar no Facebook

Dia da Independência do Brasil
Foto: ShutterStock



ou envie para seus amigos do Face ->

Outras Datas Comemorativas

30
Dezembro - Dia de Santo Rugero
5
Dezembro - Dia de São Sabas

Política Privacidade

CalendárioBr 2017 - todos os direitos reservados


X

Receba grátis semanalmente em seu e-mail um resumo com as datas mais importantes. CalendárioBr, cadastre-se!


Agora não, obrigado!