Calendário 2020



Dia da Conversão de São Paulo próximos anos




25
Janeiro de 2018 ( Quinta-feira ) - Dia da Conversão de São Paulo
25
Janeiro de 2019 ( Sexta-feira ) - Dia da Conversão de São Paulo
25
Janeiro de 2020 ( Sábado ) - Dia da Conversão de São Paulo
25
Janeiro de 2021 ( Segunda-feira ) - Dia da Conversão de São Paulo
25
Janeiro de 2022 ( Terça-feira ) - Dia da Conversão de São Paulo

O Dia da Conversão de São Paulo é comemorado no dia 25 de janeiro.

São Paulo é chamado de “apóstolo dos gentios”. Seu nome de batismo era Saulo, nascido judeu, da tribo de Benjamin, na cidade de Tarso, razão por que era conhecido como Saulo de Tarso.

Tarso, na época, fazia parte do Império Romano, embora não fosse apenas um colônia, e sim uma cidade praticamente livre. Assim, ele recebeu também o título de cidadão romano. Seu pai fazia parte da seita dos fariseus e foi nesse ambiente que Saulo cresceu e se educou.

Saulo, pela sua educação e formação dentro da religião judaica, sempre foi um homem fiel a Deus, combatente dos vícios e lutando pela moralidade dos hebreus. Seus estudos foram feitos na escola de Gamaliel, em Jerusalém, buscando aprofundar-se no conhecimento da lei judaica e tentando colocá-la em prática.

Foi nessa época que conheceu o cristianismo que, ainda em seu início, era considerado apenas uma seita. Em virtude de sua educação e formação, Saulo se tornou um grande inimigo da nova religião e dos seus seguidores, a tal ponto que, segundo consta nos registros históricos, durante o martírio de Estevão, considerado o primeiro mártir da Igreja, Saulo fez questão de segurar as capas dos que apedrejavam o mártir e sua atitude era de aprovação.

Após esse fato, Saulo foi autorizado a perseguir, identificar e prender os cristãos, uma vez que os judeus pretendiam acabar com a nova “seita” (o Império Romano ainda não havia começado a intensa perseguição). Saulo fazia tudo com desvelo, nessa perseguição aos que seguiam Cristo, imaginando estar agradando a Deus e, portanto, não poupava no uso da violência. Era, até então, um fariseu que procurava o que considerava ser a Verdade.

A conversão de São Paulo

A conversão de São Paulo, segundo os pesquisadores e historiadores, ocorreu no ano de 36 depois de Cristo, quando um acontecimento narrado no Ato dos Apóstolos mudou totalmente sua vida, tornando-o seguidor dos mesmos a quem perseguia.

Quem descreve a experiência da conversão é o próprio Paulo, nas cartas destinadas às comunidades cristãs de sua época e no livro Ato dos Apóstolos. Importante é notar que Paulo não chegou a conhecer Jesus Cristo, sabendo dele apenas através de seus seguidores, tornando-se cristão através de uma conversão considerada milagrosa.

O livro do Novo Testamento fala sobre a conversão de Paulo em três partes diferentes do texto, detalhando o acontecimento mais do que aquilo que Paulo comenta em suas Epístolas.

Segundo o Ato dos Apóstolos, Saulo estava a caminho de Damasco, saindo de Jerusalém, indo para a Síria com o objetivo de prender os seguidores de Jesus, trazendo-os para Jerusalém, onde seriam interrogados e, posteriormente, se não houvesse a retratação, condenados à execução. Em determinado momento da viagem, Saulo vê uma luz ofuscante, ouvindo uma voz que se comunica diretamente com seu cérebro.

A voz lhe perguntava “Saulo, Saulo, por que me persegues?” O cavalo em que viajava se assustou e o derrubou. No chão, Saulo percebeu estar cego.

Em Damasco vivia Ananias, um cristão que recebeu a revelação divina, sendo instruído a visitar Saulo na casa de Judas, onde estava hospedado, colocando as mãos sobre ele para que recuperasse a visão.

Ananias fica relutante, de início, já que sabia sobre a fama de Saulo e de sua sanha de perseguir e prender os cristão. No entanto, acaba obedecendo ao que havia sido lhe revelado.

O livro Atos dos Apóstolos conta que os cristãos souberam sobre conversão de Saulo e a mudança de seu nome para Paulo num discurso, quando ele, já tido como cristão, é preso em Jerusalém. Paulo se dirige à multidão e conta sobre sua visão, sobre sua cegueira e a posterior cura.

Apóstolo dos gentios

A partir daí, Paulo passou a peregrinar pelas cidades do Império Romano, convertendo aqueles a quem perseguia. Escreveu diversas cartas, as Epístolas, que hoje fazem parte do Novo Testamento, exortando as comunidades a continuar na fé.

Foi preso em Roma e, quando libertado, não parou de pregar, viajando para a Espanha e em seguida para a Ásia. Quando retornou a Roma, foi preso novamente, desta vez juntamente com São Pedro Apóstolo.

Os dois ficaram na prisão mais antiga de Roma, o Cárcere Mamertino, local até hoje visitado pelos cristãos. Ao ser condenado à morte, considerou que havia terminado seu trabalho, como atesta a frase que ainda hoje é lembrada pelos cristãos: “Combati o bom combate, terminei a minha carreira e guardei a fé”.

Como cidadão romano, Paulo não podia ser crucificado. Então, foi condenado à decapitação. Conta a tradição que, ao ser decapitado, sua cabeça rolou pelo solo, saltando três vezes e fazendo brotar três fontes. Essas fontes ainda podem ser vistas na Igreja de San Paolo Alle Tre Fontane, na via d’Ostia, em Roma. 





Política Privacidade

CalendárioBr 2019 - todos os direitos reservados


X

Receba grátis semanalmente em seu e-mail um resumo com as datas mais importantes. CalendárioBr, cadastre-se!


Agora não, obrigado!